Notícias

  • Twitter
  • FaceBook

HVO na matriz energética brasileira é tema na Arena ANTP

Combustível que pode substituir o diesel sem necessidade de adaptação de motores pode ser a solução para reduzir emissão de poluentes.

A Arena ANTP, congresso de mobilidade que ocorre em São Paulo, promoveu um debate sobre a matriz energética brasileira e a importância do investimento em novos biocombustíveis para substituir o uso do diesel. O uso do HVO (Hydrotreated Vegetable Oil), combustível 100% renovável e que pode ser colocado em uso sem a necessidade de nenhuma adaptação nos veículos, foi o principal assunto.

Segundo o Presidente da AproBio, Erasmo Carlos Battistella, o HVO pode ser utilizado misturado ao diesel – por exemplo, 1%, 10% - ou até ser a única fonte de energia para os veículos. Ele é produzido por meio de matérias-primas como óleos vegetais, especialmente gorduras animais. “Chegou a hora de despertar e começar um novo programa de biocombustíveis no Brasil. Manter o etanol e o biodiesel mas também começar um novo programa com os biocombustíveis avançados, como o HVO, e começar a produzir e utilizar na nossa matriz energética”, diz Battistella.

Com uma meta para a redução de emissão de poluentes, os empresários do transporte coletivo de São Paulo se mostraram animados com a possibilidade de utilizarem o HVO nos ônibus. “Eu vejo o HVO como a única saída. Nós temos que buscar alternativas para cumprir a legislação e reduzir as emissões. Hoje, o uso de veículos elétricos demanda investimento em infraestrutura. Então, o HVO é a solução mais prática, mais fácil e mais barata para substituir o diesel de origem fóssil, que nós teremos, praticamente, que eliminar”, finaliza o Presidente da SPUrbanuss (Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Passageiros de São Paulo), Francisco Christovam.

O Congresso Brasileiro de Mobilidade Urbana, a 22ª edição do Congresso Bianual da ANTP (Associação Nacional de Transportes Públicos), está sendo realizado em São Paulo até amanhã, dia 26, discutindo aspectos da mobilidade urbana no Brasil e no mundo e apresentando ações, programas e políticas públicas.

Fonte: Por Luiz Renato Orphão, Agência CNT de Notícias; Imagem da web
(26/09/2019)
  • Twitter
  • FaceBook