.:: Primeiro parque eólico flutuante da Europa em operação ::..

Notícias

  • Twitter
  • FaceBook

Primeiro parque eólico flutuante da Europa em operação

O Windplus é um consórcio formado pela EDP Renováveis e ENGIE (agora Ocean Winds -OW-), Repsol e Principle Power é o primeiro parque eólico flutuante da Europa Continental já está em operação total.

Última plataforma do WindFloat Atlantic foi ligada à rede e o parque já entrou em funcionamento

As três unidades passam a injetar a energia produzida pelos seus aerogeradores de 8,4 MW, as maiores turbinas do mundo jamais instaladas numa plataforma flutuante, na rede elétrica de Portugal.

A entrada em funcionamento deste parque eólico flutuante é um feito para o setor, com energia eólica flutuante que contribui para a diversificação da origem da energia, possibilitando um acesso a áreas marítimas sem precedentes e constituindo um avanço tecnológico relevante para economia sem carbono;

Com capacidade instalada total de 25 MW, o WindFloat Atlantic é o primeiro parque eólico flutuante semi-submersível do mundo.

Lisboa, 28 de julho de 2020 - O WindFloat Atlantic já está plenamente operacional e fornecendo energia limpa à rede elétrica de Portugal. Após a ligação da última das três plataformas ao cabo de alimentação que percorre os 20 km de distância que separam o parque eólico da estação instalada, em Viana do Castelo (Portugal), a construção do parque foi finalizada. O WindFloat Atlantic, que tem uma capacidade total instalada de 25 MW, é o primeiro parque eólico flutuante semi-submersível do mundo e irá gerar energia suficiente para abastecer o equivalente a 60.000 usuários por ano, poupando quase 1,1 milhões de toneladas de CO2.

Desta forma, se confirma o êxito do projeto iniciado pelo consórcio Windplus há uma década, garantindo o acesso aos melhores recursos eólicos em profundidades marítimas anteriormente inacessíveis. O Windplus instalou e ligou 3 plataformas com êxito - com 30 m de altura e uma distância de 50 m entre cada uma das suas colunas - e que permitem instalar turbinas de 8,4 MW, as maiores do mundo jamais em uma plataforma flutuante.

O êxito do projecto está na sua tecnologia: uma ancoragem que permite a sua instalação em águas de mais de 100 metros de profundidade e o seu design orientado para a estabilidade em condições climatológicas e de marés adversas. O projeto se beneficiou ainda da tecnologia de montagem: assemblagem em doca seca o que permitiu importantes poupanças logísticas e económicas e o reboque das enormes plataformas feito por rebocadores normais.

Estes avanços, entre outros, destacam a capacidade do modelo WindFloat Atlantic poder ser reproduzido em outras geografias com orografias marítimas adversas para a tecnologia eólica marítima tradicional.

Sobre do projeto WindFloat Atlantic

O projeto pertence à Windplus, que é propriedade conjunta da EDP Renováveis (54,4%), ENGIE (25%), Repsol (19,4%) e Principle Power Inc. (1,2%). As plataformas foram construídas pelos dois países da Península Ibérica: duas delas nos estaleiros de Setúbal (Portugal) e a terceira nos estaleiros de Avilés e Fene (Espanha).

Esta iniciativa contou com o apoio de instituições públicas e privadas, o que se traduziu na participação de empresas líderes nos seus mercados e no apoio, através de financiamento, do Governo de Portugal, da Comissão Europeia e do Banco Europeu de Investimento. Entre as empresas que tornaram possível a realização deste projeto, destacam-se juntamente com a Principle Power a joint-venture Navantia/Windar, o grupo A. Silva Matos, Bourbon, o fornecedor de turbinas MHI Vestas e o fornecedor de cabos dinâmicos JDR Cables.

Sobre da tecnologia WindFloat®

Dado que pode situar-se em águas muito profundas, o WindFloat® pode aceder a recursos energéticos em áreas marítimas muito vastas, respondendo a desafios sociais de relevo, como a transição para a energia limpa, a segurança da energia e as alterações climáticas, enquanto simultaneamente gera postos de trabalho, crescimento econômico e oportunidades de investimento sustentável.

As vantagens desta tecnologia são, entre outras, o fato da montagem ser feita em terra, de não ser necessário um navio de transporte específico para o seu reboque e de não depender de operações offshore complexas associadas à instalação das estruturas fixas tradicionais. Estes fatores contribuem para reduzir as despesas associadas ao ciclo de vida e os riscos.

As fundações WindFloat® também permitem albergar os maiores aerogeradores do mundo, o que contribui para o aumento da produção de energia, fomentando uma redução considerável dos custos associados ao ciclo de vida.

Sobre a EDP Renováveis (EDPR)

A EDP Renováveis (Euronext: EDPR) é líder mundial no setor das energias renováveis e é o quarto produtor mundial de energia eólica. Com uma sólida carteira de projetos em desenvolvimento, ativos de qualidade máxima e uma capacidade de exploração líder no mercado, a EDPR registou um crescimento pujante nos últimos anos e está hoje presente em 14 mercados internacionais (Bélgica, Brasil, Canadá, Colômbia, França, Grécia, Itália, México, Polónia, Portugal, Roménia, Espanha, Reino Unido e Estados Unidos).

A EDPR é uma entidade empenhada nos progressos sociais em matéria de sustentabilidade e integração. Não é por acaso que faz parte do índice Bloomberg de Igualdade de Género e ostenta o certificado Top Employer 2020 na Europa (Espanha, Itália, França, Roménia, Portugal e Reino Unido), ambos galardões de reconhecimento pelas suas políticas destinadas aos seus trabalhadores.

A Energias de Portugal, S.A. («EDP»), o acionista principal da EDPR, é uma companhia elétrica internacional líder em criação de valor, inovação e sustentabilidade. A EDP fez parte do Índice Dow Jones Sustainability durante 13 anos consecutivos.

Sobre a ENGIE

O nosso grupo é uma referência mundial em energia e serviços de baixo carbono. A nossa missão é acelerar a transição para um mundo neutro em carbono, através da redução do consumo energético e do fornecimento de soluções mais amigas do ambiente, reconciliando o desempenho económico com um impacto positivo nas pessoas e no planeta. Confiamos nas nossas atividades chave (gás, energias renováveis, serviços) para oferecer soluções competitivas aos nossos clientes. Com os nossos 170 mil trabalhadores, clientes, parceiros e acionistas, somos uma comunidade de Imaginative Builders, comprometidos, a cada dia que passa, com um progresso mais equilibrado.

Volume de negócios em 2019: 60,1 milhões de Euros. O Grupo está cotado nas bolsas de valores de Paris e Bruxelas (ENGI) e está representado nos principais índices financeiros (CAC 40, DJ Euro Stoxx 50, Euronext 100, FTSE Eurotop 100, MSCI Europe) e índices não financeiros (DJSI World, DJSI Europe e Euronext Vigeo Eiris - World 120, Eurozone 120, Europe 120, France 20, CAC 40 Governance).

Sobre a OW

A OW é uma joint-venture 50:50 do setor eólico offshore detida e criada pela EDPR e pela ENGIE em 2019. Ambas as empresas creem que a energia eólica offshore está a desempenhar um papel essencial na transição energética mundial, o que levou ao rápido crescimento e à competitividade cada vez maior deste setor. É por essa razão que incluíram toda a sua carteira offshore atual, e a que se encontra na calha, nessa nova sociedade.

A OW tem uma vantagem estratégica e está bem posicionada para desempenhar um papel principal no mercado offshore. A EDPR e a ENGIE vão unir os seus ativos eólicos offshore, e os projetos na calha, na OW, começando com um total de 1,5 GW em construção e 4,0 GW em desenvolvimento, tendo por meta alcançar 5 a 7 GW de projetos em operação ou em construção e 5 a 10 GW em desenvolvimento avançado até 2025.A OW visa principalmente os mercados da Europa, Estados Unidos e certas zonas da Ásia, de onde deverá vir a maioria do crescimento.

Sobre a Repsol

A Repsol é uma empresa multienergética global que tem por objetivo a transição para um modelo energético com menores emissões. Emprega mais de 25 000 trabalhadores e tem ativos em 35 países e vende os seus produtos a 10 milhões de clientes em mais de 90 países. É um interveniente destacado no mercado de eletricidade e gás de Espanha, com mais de um milhão de clientes. Além disso, opera ativos de geração de eletricidade com baixas emissões e está a desenvolver uma vasta gama de projetos de energia renovável fotovoltaica e eólica.

A empresa é pioneira no desenvolvimento de iniciativas de mobilidade sustentável através do uso de combustíveis e novas soluções mais eficientes, como as baterias elétricas ou o GLP. Produz mais de 700 000 barris equivalentes de petróleo por dia e dispõe de um dos sistemas de refinação mais eficientes da Europa. A tecnologia e a digitalização são pilares da companhia, que fixou como objetivo atingir emissões líquidas de zero para 2050, passando a ser assim a primeira empresa do setor a adotar este ambicioso objetivo.

Sobre a Principle Power

A Principle Power é uma empresa mundial de tecnologia energética e serviços. A comprovada e solicitada tecnologia flutuante WindFloat® da empresa está a libertar o potencial eólico marítimo em todo o mundo ao permitir que os projetos consigam aproveitar os melhores recursos eólicos, independentemente da profundidade das águas ou do estado do leito do mar.

A Principle Power atua na qualidade de parceiro de confiança para promotores, produtores energéticos independentes, empresas de fornecimentos públicos e empresas de engenharia, aquisição e construção (em inglês, EPC), prestando apoio aos seus clientes ao longo de todo o ciclo de vida dos seus projetos. Com mais de 100 MW em construção e em desenvolvimento avançado em Portugal, Escócia e França, e uma carteira de projetos comerciais em curso com vários GW à escala mundial, a Principle Power é líder de mercado em tecnologia eólica marítima flutuante.

Fonte: EDPR, LLYC São Paulo, Mariana Paker, Julia Morais; Imagem de divulgação
(28/07/2020)
  • Twitter
  • FaceBook