Notícias

  • Twitter
  • FaceBook

Bunge adquire cinco usinas do Grupo Moema

A multinacional Bunge fechou ontem, em São Paulo (SP), um dos maiores acordos do setor sucroalcooleiro do País ao adquirir cinco das seis usinas do Grupo Moema, com sede em Orindiúva (SP). O negócio, de US$ 1,5 bilhão, não envolveu dinheiro, apenas a troca de ações da Bunge na Bolsa de Nova York pelas do grupo brasileiro.

   Com isso, os acionistas da Moema terão cerca de 9% de participação mundial na gigante do agronegócio. O valor base da troca de ações foi entre US$ 100 e US$ 102 por tonelada de cana processada pelas usinas, que moem 13,5 milhões de toneladas por safra.

   O primeiro acordo assinado ontem foi com a Moemapar, holding cujo controle é dividido entre os empresários Maurílio Biagi Filho, Eduardo Diniz Junqueira e a! inda filhos de Armando Junqueira. A Moemapar tem cerca de dois terços de participação total no grupo de usinas e controla 100% da unidade Moema, em Orindiúva; 56% da usina Frutal, na cidade homônima no Triângulo Mineiro; 50% da Ouroeste, na cidade paulista, 40% da Guariroba, em Pontes Gestal (SP), e 43,75% da Itapagipe, também em Minas Gerais.

   Os outros sócios já firmaram acordo com a Bunge e assinarão a troca de ações nos próximos dias. O acordo, previsto para ser divulgado ontem à noite por meio de comunicado à Bolsa de Nova York, começa a valer no dia 1º de janeiro de 2010 por questões tributárias e fiscais. Entre os sócios da Moemapar nas usinas estão a Agropecuária CFM, o Grupo Arakaki, a Cargill, concorrente da Bunge, e a Humus Agrícola.

   Para que o acordo fosse fechado, a Humus, que tinha 50% da Usina Vertente, assumiu a outra metade do controle da unidade que pertencia à Moemapar. Para isso, cedeu os 30% que tinha na Guariroba para o sócio e deixou o negócio.! A Bunge, que só fecharia o acordo se todas as unidades fossem envolvidas, precisou ceder.

   Além da aquisição feita ontem, a Bunge já tem 80% da Usina Santa Juliana, no Triângulo Mineiro, com moagem estimada em 2,5 milhões de toneladas de cana por safra. A multinacional também tem dois projetos em construção: a Usina Pedro Afonso, no Tocantins, que deve começar a operar em 2010, e a Usina Monte Verde, em Ponta Porã, em Mato Grosso do Sul, também com capacidade inicial de moagem de 1,4 milhão de toneladas, em 2012.

Fonte: O Estado de S. Paulo - SP\Jornalcana
(28/12/2009)
  • Twitter
  • FaceBook